Desafio literário 2011: Cowboys & aliens


Um ótimo enredo, bem amarrado, mas com uma narração tão monótona que deixa o livro quase insuportável.


Dezembro chegou, afinal! O mês dos lançamentos do ano, o que eu estava mais ansiosa! Tenho tantos querendo resenhar para esse último assunto... se bem que só li “Cowboys & aliens” porque o ganhei num amigo oculto. Enfim, vamos ao que interessa.

O Inferno veio em peso para destruir os seres humanos. Demônios estão capturando as pessoas e levando-as para o Diabo em máquinas voadoras. Em Absolution, uma cidade praticamente abandonada, chega um homem sem nenhuma memória, mas possui um tipo de arma presa em seu braço que se parece muito a tecnologia dos monstros. Depois do ataque destes à cidade, um pequeno grupo se reúne e decide ir atrás dos entes queridos que foram levados, e o tal homem vai junto, enquanto se lembra aos poucos do que havia lhe acontecido.

Eu até gostei da história, é bem bolada. E adorei a idéia de misturar cowboys com aliens, dois seres que provavelmente nunca tinham se encontrado antes. Achei bem interessante ver as pessoas chamando os extraterrestres de demônios, acreditando que as pessoas capturadas estavam sendo levadas para o próprio Inferno. Mas é uma pena que o enredo não foi muito bem levado.

A narração é sem graça, não nos deixa interessados no que está acontecendo com os personagens. Por mais vontade que eu tivesse de saber como a história se desenrolaria, era muitas vezes um sacrifício ler um capítulo. Eu às vezes me via sonhando acordada com o livro nas mãos, sem conseguir virar uma página que seja. Até as cenas de ação conseguiam me entediar. O mais chato é que quando eu finalmente ficava empolgada, pensando “agora vai ficar bom!”, o parágrafo seguinte voltava a me deixar impaciente. Pelo menos a história não é totalmente previsível.

O estranho é que os personagens não são nada vazios, todos tem seus problemas até muito bem explicados e construídos, mas eu não conseguia me importar com eles. Pouquíssimos me cativaram, e um deles era o cachorro (se bem que eu sou daquelas que sempre prefere aos animais).  

Mas é claro que tudo tem um lado positivo. Eu realmente adorei as passagens em que a invasão alienígena era comparada à guerra entre os homens brancos e os apaches. Gosto quando mostram que por mais que monstros sejam assustadores, os humanos podem ser tão ruins quanto eles.

Enfim, não recomendo a leitura. Talvez se você gostar de histórias do velho oeste, possa aproveitar melhor. Apesar dessa crítica, eu fiquei com vontade de ler a graphic novel, que é a versão original da história. Vai que ela é melhor?

Postagens mais visitadas