Retrospectiva literária 2011


Terminando o ano com uma blogagem coletiva!

Para quem não conhece, a Retrospectiva Literária é uma espécie de meme criado pela Angélica Roz do blog Pensamento Tangencial em que os participantes respondem perguntas sobre os livros lidos durante o ano. Tem como objetivo a interação entre os blogs e a divulgação de nossas leituras para discutir as conhecidas e descobrir outras novas. Enfim, participei ano passado e realmente gostei, mas tive que usar o meu tumblr. Agora que tenho um blog mesmo, fiquei ainda mais animada!

Chega de enrolação; vamos à lista!


1. O livro infanto-juvenil que eu mais gostei: "As vidas de Christopher Chant"

É o segundo volume da série Os mundos de Crestomanci, de Diana Wynne Jones. Simples, mas com uma história muito divertida e cativante, excelente para crianças ou para uma leitura leve. Nem recomendo só esse, mas todos os seis livros logo.



2. A aventura que me tirou o fôlego: "The lost hero"
Adoro Percy Jackson, mas tenho que admitir que gostei mais desse primeiro livro de Heroes of Olympus do que a saga anterior. Achei a história bem mais interessante, assim como os próprios personagens (ainda que o universo seja o mesmo) e com uma escrita mais bem trabalhada - Riordan é muito melhor escrevendo em 3ª pessoa. Também adorei termos três protagonistas, ainda que Jason seja o principal.

3. O suspense mais eletrizante: "Catching fire"
A pequena decepção que tive com o primeiro livro evaporou totalmente com esse. Mal dá para respirar direito com a tensão da eminente guerra, deixando a leitura quase impossível de ser interrompida - as páginas voavam até durante as aulas, por mais proibido que fosse. 

4. O romance que me fez suspirar: "Travessuras da menina má"
Geralmente, não gosto de livros românticos, e acho que esse foi o único do gênero que li em 2011. Também não acho que seria legal viver uma história de amor igual à de Ricardito, é desilusória demais; acho que foi por isso que eu gostei tanto. 

5. A saga que me conquistou: "O mochileiro das galáxias"


Os livros não são grandes, mas ainda assim foi incrível eu ter lido todos em menos de um mês. Não tenho o costume de ler coleções assim, de uma tacada só. A história de Adams é excelente, quase obrigatório para quem gosta de ficção científica. É muito engraçada, mas trágica; simples, mas complexa; divertida e crítica; doida demais.


6. O clássico que me marcou: "Vidas secas"

Essa obra é muito triste, dá para sentir mesmo a secura - eu pelo menos senti. Senti o vazio da vida dos personagens, o desespero, a desilusão, a aceitação. Pior é saber que pessoas nessa situação estão por aí aos montes. Não entendo quem reclama que o livro é difícil, tudo é bem simples e direto, nem vocabulário rebuscado tem. 
7. O livro que me fez refletir: "O estranho misterioso"

Este livro é estupidamente tenso e deprimente. Não o leia se você estiver em uma fase triste, porque ele já é  melancólico o suficiente. O que Twain nos apresenta sobre os seres humanos, é tudo verdade, por pior que seja. Se a sua afirmação final também for...
8. O livro que me fez rir:  "O mundo de vidro"
Gomyde se deu muito bem com esse livro de lançamento. Conta uma linda história numa comédia pastelão realmente engraçada, algumas piadas são clichês mas nem um pouco forçadas. A narrativa é muito legal, por vezes até sarcástica, e as situações em que os protagonistas (ele principalmente, claro) são hilárias.

9. O livro que me fez chorar: "O diário de Anne Frank"
Não sou manteiga derretida, é muito difícil me fazer chorar. Nem tenho certeza se realmente o fiz lendo esse livro, mas ele com certeza me tocou profundamente. As passagens em que Anne ficava pensando sobre o que deveria fazer quando a guerra finalmente acabasse eram como uma faca no coração. 

10. O melhor livro de fantasia: "O aprendiz"

Em alguns momentos lembra um pouquinho " O senhor dos Anéis", mas nem por isso a história é ruim, muito pelo contrário. Eu gostei muito, tem uma mitologia muito bem construída e às vezes até um toque de terror. O único defeito é que o livro faz parte de uma série enorme que parece não estar nem na metade por aqui. Mas acho que é uma boa pedida para quem quer começar a ler esse gênero literário. 


11. O livro que me decepcionou: "O diário de Bridget Jones"
Não gosto de chick-lit, mas quando soube que havia um personagem inspirado em Mr. Darcy, tive que ler. Bom, além de Mark Darcy quase não aparecer durante todo o livro, a história é muito chata. Nada mais do que as reclamações de uma mulher fútil. Se ao menos fosse engraçado, acho que teria gostado mais.






12. O livro que me surpreendeu: "Era mais uma vez outra vez"
Um livro infantil, bem pequeno, cheio de figuras, li em menos de uma hora. Este é um ótimo exemplo de como esse gênero deve ser lido por maior que seja a sua idade. O livro é muito fofo, conta uma história muito legal e bem engraçada com poucas palavras, sem frescura nenhuma. Com certeza mereceu o prêmio.








13. A frase que não saiu da minha cabeça: "Num buraco no chão vivia um hobbit."




14. O personagem do ano: Marvin
O andróide paranóide, o robô maníaco-depressivo, o melhor personagem de Douglas Adams. Ao mesmo tempo em que eu morria de rir com as tiradas dele, ficava com pena por causa de sua tristeza programada. Também me irritei junto com ele pela maneira como os outros o tratavam. Quase chorei com o seu estado no final do 4º livro, aquela passagem foi realmente memorável.

15. Melhor livro nacional: "A arma escarlate"
Esse ano acho que não li muitos livros nacionais, mas esse com certeza foi o que eu mais gostei. Cumpre direitinho o que propõe, que é mostrar como seria o mundo bruxo no Brasil, fazendo referências à história de Rowling mas sem copiá-la, muito pelo contrário. Critica o nosso país ao mesmo tempo que o elogia, mostra o quanto temos que melhorar e também como devemos nos valorizar.







16. O melhor livro que li em 2011: ...
Essa história de melhor livro não existe para mim. Houveram livros excelentes e ótimos, bons e razoáveis, ruins e péssimos. Mas o melhor de todos, um só, não tem.


17. Li em 2011 55 livros.
UAU! Um novo recorde!

18. A minha meta literária para 2011 é:
Longa. Começa pela leitura completa da trilogia de O senhor dos anéis e de todos os livros da editora Zahar de Sherlock Holmes; continua pela leitura de metade dos livros de Agatha Christie que têm aqui em casa; quero ler A guerra dos tronos e Os três mosqueteiros; deveria mesmo ler pelo menos dois livros da coleção de clássicos da Abril, comprei um monte de volumes e até agora só li dois. Enfim, acho que será uma meta difícil de ser cumprida, mas que não custa tentar! Acho que vou até fazer uma lista aqui no blog e ver se eu consigo cumprir pelo menos 1/3 do que eu propor. Ainda tem o Desafio Literário! Argh, so many books, so little time...

Postagens mais visitadas