Desafio Literário 2012: Eu odeio cozinhar - receitas fáceis para quem tem mais o que fazer





“Essas receitas não foram testadas por especialistas. É por isso que são valiosas. Especialistas, em sua impecável cozinha experimental, fazem qualquer coisa ficar saborosa. Mas essas aqui até nós podemos fazer ficar saborosas."                                              Eu odeio cozinhar, página 17; Editora Verus


Se há alguma coisa em que eu sempre falho, essa coisa é cozinhar. Uma vez eu quase coloquei fogo na cozinha quando a luva que usava pegou fogo; eu estava preparando um miojo. É por causa de episódios assim que eu só me alimento de comida congelada quando não há ninguém para preparar algo. Mas eu sei que não vou poder viver assim para sempre, por isso fiquei tão interessada neste livro a ponto de comprá-lo (livros de receitas são inexistentes em minha biblioteca).

A escrita de Bracken é excelente, simples, mas sem ser vazia nem fraca. É muito bem-humorada e bastante ágil. Além disso, a autora é extremamente cativante e eu me identifiquei demais com as histórias e situações  que são contados ao longo do livro, ainda que várias tenham como assunto principal cônjuges e filhos e eu nunca tenha me casado. Detalhe: o livro foi escrito em 1960.

As receitas são realmente bem simples, muitas mal chegam a ocupar meia página com instruções. Já marquei várias para tentar fazer, mesmo tendo um certo pressentimento de que não vai ficar tão bom quando Bracken afirma - engraçado que ela critica bastante os livros de receitas usuais, mas de vez em quando ela age como os autores destes ao fazer esses comentários. Pelo menos ela não cometeu o deslize das fotos...

"[...] os fotógrafos de comida jogam sujo. Certa vez, tive um privilégio de ver um ensopado sendo fotografado no estúdio de um importante fotógrafo. O ensopado estava fantástico: o molho estava espesso e brilhante, os pedaços de carne, dourados e suculentos, contrastando lindamente com as cenouras e as cebolas. [...] Eu perguntei e descobri que o molho havia sido tingido e que as cebolas estavam apoiadas em palitos de dente!"                                  Eu odeio cozinhar, página 105; Editora Verus

No final do livro também há algumas dicas domésticas, que segundo ela são excelentes. Bom, não experimentei nenhuma delas, mas parecem interessantes. Com certeza usarei a ideia de diminuir o paladar antes de tomar remédio. Mas o mais legal é a pequena relação de medidas de ingredientes, eu realmente precisava de algo assim! Com certeza será muito útil.

Obviamente, recomendo este livro para quem não gosta de cozinhar. As pessoas que estão começando a praticar essa atividade delicada podem fazer um ótimo uso dele. E por que não os bons cozinheiros também podem tentar algumas receitas. E vale a pena a leitura só para relaxar e passar o tempo, rindo do cotidiano culinário.

Postagens mais visitadas