Desafio Clássico - Segunda parada


Já se passaram dois meses desde o meu primeiro post participando do Desafio Clássico - dois meses que mal foram sentidos, como assim já estamos em junho??

Bom, posso não ter lido tantos livros quanto gostaria durante esse tempo, também não foram leituras excepcionais que mudaram a minha vida, mas com certeza todas valeram à pena. Até aquelas que não me agradaram. Chega de enrolar, então. Vamos às perguntas que devem ser respondidas:

1. Quantos livros clássicos você leu em dois meses?
Três. Já ultrapassei a meta estabelecida pelo NUPE, de seis clássicos no ano!

2. Quais foram?
Lidos:
"O morro dos ventos uivantes", de Emily Brontë
"Outra volta do parafuso", de Henry James
e "Persuasão", de Jane Austen
(só literatura de língua inglesa!)

Abandonados:
"Os três mosqueteiros", de Alexandre Dumas

3. Cumpriu sua meta?
Siiim!


4. O que você achou deles?
Em busca de um dono!
Pela minha resenha de "O morro dos ventos uivantes", deu para ver como eu adorei o livro. A história é totalmente o contrário do que eu esperava, e conseguiu me envolver do melhor jeito possível. Foi por causa dessa obra que eu finalmente me acostumei a levar minas leituras para fora de casa. Também acabei aprendendo a ler no ônibus, algo que eu não conseguia de jeito nenhum! É chato saber que esse foi o único romance de Emily.

Já "Outra volta do parafuso" foi bem menos agradável. O enredo é ótimo, mas o autor prolonga demais a sua história. Tenho certeza de que era possível desenvolvê-la mais rapidamente sem perder absolutamente nada. As descrições insaciáveis eram o terror, e eu cheguei a pular várias frases só de raiva. O que me impediu de abandonar foi a curiosidade em saber como tudo terminava, e fechei o volume pela última vez bem irritada. Admito que não consegui entender direito aquele final.

Por fim, apesar de não me dar muito bem com a escrita de Austen ainda que antes eu só tenha lido "Orgulho e preconceito", "Persuasão" foi muito mais legal. A narração, as descrições e os diálogos são longos de fato, mas nada é prolixo e sim muito gostoso de ser lido. Temos aqui uma história bem parada no geral, mas com tantas coisinhas sendo ditas e observadas que é impossível não ser interessante na maior parte do tempo. E o casal principal é muito simpático, ainda que eu ache que Anne combinaria melhor com um outro mocinho...

Já com novo dono! :D
5. Qual foi o seu personagem preferido dos livros?
Se for preferido no sentido de gostar muito, pode ter certeza de que toda a minha simpatia está com Anne Elliot, protagonista de "Persuasão". Ela é tão normal e tão parecida comigo que foi impossível não amá-la. Se bem que às vezes eu ficava bem irritada com essa personagem, nunca conheci pessoa mais passiva. Nem eu sou parada assim! E parece que isso só dá à mulher mais charme ainda.

Porém, acho que o melhor das leituras foi mesmo o Heathcliff, de "O morro...". Ele é tão mesquinho, nojento e assustador que não consigo falar da pessoa como eu queria, até ficarei calada. Só acrescento que fiquei com medo dele algumas vezes, e que eu NÃO quero um homem desses em minha vida, por favor.

6. Viu alguma adaptação cinematográfica?
Engraçado dizer que eu só conferi filmes baseados no livro mais chato. Assisti primeiro à adaptação mais nova de "Outra volta..." por causa de muitos comentários positivos. E, de fato, não é nada ruim. Tem uns acréscimos muito interessantes à história, como mostrar a situação da governanta pouco depois dos acontecimentos bizarros na mansão. Mas não há nada de mais especial, foi simplesmente um bom filme mais legal do que a obra. Ah, e a escolha para as crianças poderia ter sido bem melhor: elas nada tem de agradável e fofo, pouco a ver com a descrição do livro. Para mim, pelo menos.

Vi também um filme chamado "Os outros", que é levemente baseado na obra de James. Simplesmente amei! A história tem um suspense muito mais medonho, e uma situação mais intrigante. Nicole Kidman está incrível no seu papel, mas não é a única boa atriz. O elenco é mínimo mas é ótimo; não tinha atores melhores para serem escolhidos para as crianças. Também conta com a presença do Nono Doutor!


E mal tenho palavras para o desfecho. Aquele final foi fantástico! Achei genial, e me senti quase sádica morrendo de rir com a descoberta...eu realmente não esperava por aquilo, apesar de vários detalhes apontarem para isso. O filme vale muito à pena, bem mais do que o livro, na minha opinião.

Só para terminar, deixa eu citar "A menina que não sabia ler", título horrível que pouco tem a ver com o enredo principal. Na verdade, tem a ver sim, mas não faz sentido. Enfim - é uma adaptação de "Outra volta...", com um outro ponto de vista mas contendo praticamente todas as características da obra original, desde os nomes até as situações e os lugares. É, pelo jeito, uma homenagem, na minha opinião bem mais simpática e interessante do que o original.

UFA. Terminei tudo o que eu tinha para falar. Foram dois meses bem produtivos em relação à literatura, pelo visto.

Pobre Dumas...! Posso tê-lo abandonado, mas em breve eu voltarei para ele.

Postagens mais visitadas