Dilemas existenciais

Ao consigo evitar que esses pensamentos perturbadores venham à minha mente quando estou desconfortável na cama. Geralmente durante uma crise grave de insônia ou após mais um episódio de paralisia do sono. Fico deitada, de olhos fechados, pensando no depois.

Vou cursar Letras; será mesmo que eu nunca vou conseguir um bom emprego, como o meu pai vive alertando? Deveria ter tentado vestibular para outro curso? Devo mudar agora, enquanto dá tempo? Poderia ter planejado melhor a minha vida; não faço a mínima ideia de onde estarei daqui a 10 anos. Ou mesmo 5 anos. Até lá, terei feito alguma coisa relevante? Terei aprendido a ser totalmente independente? Estarei morrendo de fome?

Aí eu me lembro de que o mundo daqui a alguns anos será totalmente diferente de como é hoje. Em relação à própria Terra, eu digo. Fisicamente: Vou ter água para beber? Comida não plastificada para comer? Será que ainda teremos florestas o suficiente para conseguirmos manter a raça humana? Nós vamos ter nos enterrado em cordilheiras de lixo? Ainda vão existir animais selvagens?

E depois? E depois de TUDO? Como será depois da morte? Vou ficar na escuridão por toda a eternidade? Ficarei consciente disso ou não? Eternidade... morrer me assusta demais. Não consigo me conformar com isso aí. E esta é a única experiência da qual eu tenho certeza de que terei de enfrentar. O sono vai embora, não quero dormir mesmo. Não consigo dormir. Minha cabeça dá um nó, e eu entro em desespero.

SOCORRO.

Postagens mais visitadas