Troca-troca de autores

Sou a única pessoa que achou “Amor e inocência” incrivelmente chato? Não consegui me emocionar nem um pouco, por mais melancólica que fosse o enredo, baseado na vida amorosa de Jane Austen. Enfim, esse post não é sobre o filme, mas sobre algo que me deixou chocada. E muito irritada também. Atrás da caixa do DVD há uma frase de divulgação que diz: “Baseado no verdadeiro romance de Jane Austen, escritora de ‘Orgulho e preconceito’ e ‘Desejo e reparação’”. What the fuck??!

Só para mostrar que não é brincadeira...
Enganos desse tipo são totalmente normais, eu mesma já troquei autor várias vezes Por exemplo, para mim “Morte e vida de Charlie St. Cloud” era do Nicholas Sparks; na verdade é de um cara chamado Ben Sherwood. Porém, custava mesmo para o pessoal que fez essa capa conferir essa informação e evitar esse mico? Não há alguém que checa se tudo tá ok antes de mandar o produto final para a gráfica, um revisor? Eu fiquei bem chateada mesmo. Por favor, gente, só porque os títulos são parecidos, não significa que o autor é o mesmo. “Desejo e reparaçãonão é obra da Austen. Esse livro foi lançado em 2001! E se passa durante a 2ª Guerra Mundial, época que se passa cento e tantos anos após a morte da escritora.

O pior é quando essa confusão na verdade não é confusão, feita de propósito. Nem falo de plágios que alguns escritores sofrem, mas da vontade de creditar um texto com o nome de uma pessoa que não o autor para, por exemplo, aumentar o público de leitores interessados.

Há algum tempo atrás li, da autora Cora Rónai, o livro “Caiu na rede”: uma antologia de várias crônicas que tiveram os créditos bagunçados. Sabe esses textos que você lê no facebook, ou mandados por emails de amigos seus? Muitas vezes eles vão estar creditados como “Por Luís Fernando Veríssimo”, ou com o nome da Clarice Lispector, Millôr Fernandes, Arnaldo Jabor, e outras pessoinhas famosas. Pode ter certeza de que boa parte das vezes o texto é de outrem ou mesmo de algum desconhecido.

Já leram “Um dia de merda”? É hilário, um dos textos mais engraçados e realistas que já li. Só que ele não foi escrito pelo Veríssimo, como aparentemente está confirmado pela internet. O autor verdadeiro é desconhecido. “Romeu e Julieta contemporâneo” também não é do Veríssimo, “Tipo assim” menos ainda... para os mais curiosos deixo aqui o blog da Rónai sobre esse livro. Ele é muito interessante e ainda conta com declarações sobre esse assunto dos próprios autores que tiveram os seus nomes colocados em textos alheios.

Ai ai, quanto tumulto desnecessário...

Postagens mais visitadas