Não foi o dia do Curinga

Meme Literário de Um Mês - vigésimo quinto dia

Cite um livro que você achou que iria gostar e acabou se decepcionando.

Existem vários que se encaixam nessa categoria, mas vou falar do mais recente, que foi abandonado na metade. Sim, foi essa obra tão aclamada do Jostein Gaarder, "O dia do Curinga". Eu tinha vontade de lê-lo desde criança, devido à capa bonita e por ter uma história envolvendo cartas de baralho adoro cartas de baralho. Depois de ler algumas coisas do autor, fiquei mais ansiosa ainda pela leitura, só esperava alguma chance para comprar o livro por um preço legal (não sabia que tinha edição de bolso...).

Olha, eu me arrependo demais de ter esperado tanto. Tenho certeza que teria gostado e me interessado muito mais pela história se tivesse lido na adolescência ou na infância. Mas hoje não deu certo. Eu me arrastei durante umas 150 páginas até admitir que não era um livro para mim.  Aquele garotinho era chaaaaaaaaato, o mistério em torno daquela família era misteriosa demais, e para mim ficou muito forçada. E a narrativa dentro da narrativa dentro da narrativa dentro da narrativa deixou tudo tão enjoado que eu comecei a ler nas coxas, confundindo os parentes e seus feitos. "A Origem" foi mais fácil de entender.

Me lembro que o único personagem que eu realmente gostei foi do pai do protagonista, e só por causa da mania dele de roubar cartas de baralho. Fiquei com muita vontade de começar uma coleção assim!

De qualquer jeito, apesar da decepção, pretendo dar outra chance ao livro. Ainda quero saber quem era o tal Curinga que aquele senhor falava com tanto respeito, e o que aconteceu no seu dia.

Fonte do meme literário.

Postagens mais visitadas