Uma jornada mais do que esperada


Num buraco no chão vivia um hobbit.
Só agora, três dias após ter assistido a esse filme, me sinto capaz de escrever um texto sobre ele digno de ser lido. Antes, a empolgação era tão grande que eu só conseguiria elaborar coisas do tipo: "OMG PERFECT/  O MUNDO TODO PRECISA ASSISTIR / eu ainda não sei diferenciar todos os anões / AINDA ASSIM TODOS SÃO MUITO AMOR / BILBO LINDO <3 /o 3D NÃO dá dor de cabeça q fofo / kd o trailer de Star Trek?"

Não deixa de ser verdade...
Podemos traduzir todos esses comentários de fangirl como: "O Hobbit: Uma Jornada Inesperada" foi o melhor filme do ano. Para mim, pelo menos. A adaptação da história ficou tão bem feita que superou todas as minhas expectativas, e estas não eram nada baixas - ainda que eu tenha olhado torto para a quantidade de filmes. Duas partes era simplesmente perfeito, pois dava para encaixar tudo e mais um pouco. Agora, três?? Eu ainda estou com um pé atrás em relação a isso, mas consegui me convencer de que, se ficar ruim, vai continuar sendo excelente (deu para entender?).

Falar sobre o capricho absurdo com que os cenários, as paisagens e os figurinos foram tratados é chover no molhado. Mas é preciso comentar que toda essa beleza em 3D fica ainda mais clara e próxima de nós. Sério, durante as duas horas e quarenta minutos de cinema não havia outro lugar para mim além da Terra-Média. Me pergunto se os tais 48 frames por segundo foram capazes de melhorar ainda mais tanta perfeição.

Ando vendo por aí um pessoal de mimimi porque esse filme tem um clima mais leve e brincalhão do que a trilogia original, reclamando até das músicas (as músicas, gente!! Ficaram ótimas!!) que sempre foram cantadas no livro. O Peter Jackson fez  tudo errado, né gente? Tipo, o roteiro nem foi baseado num livro infantil com um narrador que adora sarcasmo contando uma história que, apesar das guerras e do sangue, continua sendo a coisa mais fofa da literatura.

I am going in an adventure!
Por favor, não há como negar que tudo ficou bem mais tenso na adaptação, já que há várias partes que ligam o filme diretamente com "O Senhor dos Anéis", nos dando um vislumbre do Necromante (a.k.a. Sauron) e tudo. Essas e outras adições que foram feitas (vale lembrar que todas foram baseadas em contos da Terra-Média escritos pelo Tolkien) deixaram o enredo bem mais completo do que seria se tivessem focado exclusivamente no livro. Tudo foi feito sem prejudicar o desenvolvimento dos personagens nem da história original.


Porém (argh, este nunca fica de fora!), o tempo de tela dedicado ao Bilbo Bolseiro me incomodou. Desde que Martin Freeman foi escalado para o papel não tive dúvidas de que esse personagem seria interpretado brilhantemente. Bom, ele foi, mas aparece tempo de menos para um protagonista; acho que Gandalf, mesmo com todas as suas fugas da comitiva, chega a aparecer tanto quanto ele. Se bem que, quando a gente pensa melhor, no livro é assim mesmo...Bilbo só tem um papel mais ativo bem mais para frente. Mas ele reclama bem mais do que nos foi mostrado!!

O excesso de orc Azog também irritou: entendo que, como Smaug só aparece depois de passada metade da história, um vilão além dos perigos da viagem era necessário para a primeira parte não ficar enfadonha. Mas era necessário que ele aparecesse tanto assim? "CARA, morre logo!!" era tudo o que eu pensava quando ele surgia na tela já nos minutos finais. Outra coisa que soou errado foi a falta de sangue, vai lá ver o Bilbo esfaqueando o orc para depois se levantar com a espada e as roupas limpinhas....

If Baggins loses, we eats it whole! <3 
Há também uma certa mudança brusca em relação a cena em que o Anel é encontrado. Os mais fanáticos pelos filmes anteriores (que estavam reclamando das adaptações do Jackson dez anos atrás) com certeza vão chorar por causa disso para sempre; é estranho, sem dúvidas, mas não é um defeito tão chato quanto os outros. Nem sei se chega a ser algo ruim. Um Gollum é o suficiente para esquecermos qualquer coisa - Andy Serkis estava sensacional!! Por quanto tempo o personagem aparece, quinze minutos? Menos? E foi o responsável pela melhor cena de todas. Nunca tinha sentido tanto pelo Sméagol... nem as legendas escrotas que fizeram exclusivamente para ele estragou as adivinhas.

"Uma Jornada Inesperada" agora é um dos meus favoritos da vida - tanto que se eu não parar de escrever agora, não vou parar nunca. Assista a essa lindeza e tire suas próprias conclusões, até porque nem tem como usar a desculpa "ainda não vi 'O Senhor dos Anéis'", já que é o começo de tudo! Não tenho certeza se é melhor, mas eu gostei mais desse do que de "A Sociedade do Anel" do mesmo jeito que prefiro "O Hobbit" à trilogia.

...só em dezembro...
Agora, teremos que encarar a espera de um ano até a segunda parte da história, "A Desolação de Smaug". Já estou totalmente elétrica para ver como será a visita aos elfos da Floresta das Trevas, a viagem dos barris (uma das minhas cenas favoritas!!), o reencontro de Sherlock e John Bilbo e Smaug!!! Ai, ai, vai demorar muito...


Postagens mais visitadas