Refletindo sobre o dano dos spoilers

Quem me conhece, sabe muito bem que sempre segui uma política simples mas severa com spoilers: eu não quero saber de nada. Absolutamente nada. É óbvio que, por causa disso, alguns idiotas soltam detalhes do tipo "sem querer" perto de mim. Desses, infelizmente, eu não consigo escapar... já quando se trata de filmes ou seriados, me acostumei a fugir de notícias à medida que a data da estréia se aproxima, pois esse é o momento que os atores e produtores costumam falar demais (deve ser a empolgação).

E, desde que a minha estréia de Harry Potter e o Cálice de Fogo foi arruinada por excesso de vídeos no youtube, passei a ser mais cuidadosa ainda: três trailers, no máximo. Nem spots de televisão eu assisto. Finalmente, é preciso lidar com o tumblr: ou tags são bloqueadas ou o logoff é feito. Prefiro ficar um mês sem abrir o site a ver um filme inteiro em formato .GIF.

Porééééém, acho que estou começando a mudar o meu ponto de vista em relação a esse assunto. Na verdade, já estou mudando. Até onde eu me lembro, isso começou com uma postagem de facebook do Alex Castro. Ele comentou que não entende o ódio das pessoas por spoilers, porque sua vida o ensinou que uma informação precipitada não estraga história nenhuma, mas incentiva a procura por ela. Já estava pronta para discordar totalmente do que ele tinha dito, mas antes fui ler os comentários - e alguns me fizeram parar para pensar. Talvez, só talvez, spoilers podem mesmo ser algo bom.

Complicado se livrar desse aí!!
Eu soube antes do livro ser traduzido... 
Me lembrei que eles já trabalharam a meu favor mais que algumas vezes; foi só porque eu soube que o médico se internava no final que eu resolvi ler O Alienista. Não fiquei com menos vontade de ler os livros de Sherlock Holmes depois que soube do destino do detetive (sei que muitos nem consideram isso spoiler, mas para mim é). Ah, também só pretendo ler xxxHolic Rei por causa de algumas coisinhas que eu fiquei sabendo - depois daquele final deprimente do mangá original, tinha decidido deixar para lá, mas acabei ficando interessada por causa dessas fofocas...

E, não podia deixar de comentar, ainda tem a minha situação com As Crônicas de Gelo e Fogo. Além de ser quase impossível conversar apropriadamente sobre essa saga sem levar para casa a informação de uma morte ou duas, essas coisas fazem você querer ler tudo de uma vez. Vem a ansiedade de ver com os próprios olhos como tudo vai acontecer. Apenas saber o que aconteceu é muito chato, é preciso sentir.

Ando mesmo menos encanada com spoilers. Claro, ainda me incomodo bastante: entre saber ou não, prefiro continuar ignorante, mesmo que esse detalhe me fizesse ainda mais empolgada. Como participo de um fã site e vou precisar lidar com algumas fofocas do tipo, então é melhor que eu aprenda a não fazer tanto drama... Pelo menos, se fico sabendo, não fico mais tão brava como antes - quando, por vezes, acabava desistindo da história. Venho percebendo que o que mais importa para que algo seja bom não é o que acontece no final, ou aquele acontecimento que desestabiliza todos os personagens, mas como e porquê tudo isso se desenrola.

Não posso negar que isso não se encaixa em todos os casos - por exemplo, ainda que eu amasse todo mundo em Ashes to Ashes, não sei se iria gostar tanto de do seriado sabendo daquilo logo no começo. O objetivo dele sempre foi chegar nessa informação, e ter a resposta antes da hora simplesmente estraga a brincadeira. Mesma situação com o final de Lost. Se bem que, para os que gostam de caçar detalhes sutis nos episódios, tudo pode até ficar mais fácil...

Enfim, mesmo tendo (quase) feito as pazes com a mania de spoilers, continuarei saindo do caminho dos trailers e, principalmente, dessas pessoas que fazem gifs em tempo real - algumas devem fazer de dentro do cinema, porque a situação é séria!! Uma coisa é saber o que vai acontecer, outra muito diferente é vê-la acontecendo, sem querer, na sua dashboard do tumblr. Isso sim, faz as coisas perderem a graça, segundo minha própria experiência.

Postagens mais visitadas