A paranóia das histórias não terminadas

Esses dias, acho que percebi de verdade para aonde vai boa parte da minha disposição e do meu tempo livre. Não que eu não soubesse que tinha essa mania, apenas não tinha visto como afetava a minha vida. Pior, nem é um hábito ruim, apenas algo que eu faço por teimosia, orgulho, algo assim. Uma mania simples até, mas que vem me deixando constantemente estressada.

Basicamente, é assim que acontece: sempre que começo alguma saga de livros, de filmes ou seriados, sinto uma necessidade desnecessária de só parar de consumir a história quando ela acabar. Mesmo que eu acabe odiando todos os rumos e todos os personagens, mas não sossego enquanto não terminar. Quando desisto, fico ansiosa, por motivo nenhum. Como certamente não é empolgação com o enredo, imagino que seja simplesmente a vergonha de não ter conseguido terminar. Um sentimento que não deveria ser desperdiçado num contexto desses...

Semana passada, eu comecei a assistir Suits, por indicação de todo mundo. É um seriado legal, atores muito bons, personagens carismáticos, mas não é o tipo de programa que eu curto acompanhar - na metade da primeira temporada já tinha me cansado. Queria seguir meu plano de ver pelo menos até essa season finale, mas parei e pensei melhor. Talvez, só talvez, desistir seria uma escolha interessante. Ficaria livre para assistir coisas que me deixam empolgada de verdade. Ou ler, estudar, dormir, sair, jogar bola, arrumar o quarto, trabalhar, lavar a louça, atualizar o blog, ir a Londres, pular de bungee-jumping... com certeza seria muito mais produtivo do que ficar procrastinando para ver um episódio.

Vocês são lindos, mas não servem para mim
LOL
Decidi levar isso a sério. Joguei para o alto todos os seriados e livros que estão na lista de espera há mais de dois, três anos. The Heroes of Olympus, por exemplo. Li o primeiro livro e achei o máximo, mas agora não sinto nenhuma vontade de pegar o segundo e o terceiro, pois há coisas muito mais urgentes para serem lidas. Colocarei esses livros para venda; se, em algum longinquo dia, eu ficar com vontade de ler, compro a versão digital. Ou a versão física mesmo, tanto faz. Não é como se fossem edições raríssimas, pelo contrário. Posso recuperá-los quando eu quiser.

E os seriados e filmes pendentes que perdi a vontade de assistir, irei simplesmente não assistir. Não deve ser tão difícil fazer isso; tem alguns que, apesar de ter amado com todas as forças no passado, foram abandonados e estou bem com isso (como The Mentalist e Ouran Host Club). Se a curiosidade do desfecho bater, o tumblr está aí para isso. Se parecer que vale à pena dar outra chance, baixo/pego na locadora. Isso não acontecendo, sigo a vida.

Postagens mais visitadas