As vantagens de ter um e-reader

Capinha feita pelo meu pai <3
Se 2012 não foi um ano muito satisfatório em relação a leituras para mim, 2013 está sendo ótimo por causa
da lindeza que ganhei: um kobo touch. Ultimamente, ando meio chateada por falta de luz interna - ah, se eu tivesse um kobo glo...!! Mas esse modelo básico já é o suficiente. Só nesse e-reader, li uns 17 livros desde janeiro. Eu mal havia passado dos dez volumes nessa mesma época no ano passado. O aparelhinho vem mesmo sendo um baita incentivo, até meu irmão, que nem se preocupa em ler o que a escola manda, está usando!

Desejei um leitor desses durante um tempão, mas a necessidade de importação me desanimava imensamente. Nem era por causa do preço (por isso também), mas pelo medo do estresse mesmo. Compras internacionais sempre me deixam nervosa; aí, quando soube do lançamento de dois e-readers no Brasil, fui logo pesquisar tudo sobre eles para decidir qual seria melhor para mim. Fiquei dias nisso, e acabei colocando o kobo na wishlist. O motivo? Nem sei direito... apenas me soou melhor. Às vezes, questiono a minha escolha - mais especificamente, sempre que tento discutir com o sistema de busca da Livraria Cultura, que é totalmente sem noção.

Isso não significa que eu esteja arrependida, porque eu tenho me dado bem demais com essa mania de livros digitais. Bem, para ser sincera, ainda fico revoltada com alguns preços - não consigo comprar e-books que custam mais de R$25 - mas já economizei bastante; comprei várias obras a menos de R$5, e consegui um monte de outros por absolutamente nada (uns vieram de acordo com a lei, outros não). Também vem sendo de bastante ajuda com os meus trabalhos e leituras para a faculdade, pois não preciso imprimir exercícios nem apostilas, e daí economizo dinheiro e papelada.

Falando em papel, não gastar espaço é uma das melhores coisas usar um e-reader. Minha casa é pequena e não cabe tantos livros como eu gostaria. Já com o kobo, eu posso entupi-lo com tudo que desejo ler na vida e ainda vai sobrar espaço para mais. Ainda adoro os volumes físicos, tem muitos por aqui que vão continuar comigo até a morte (ou assim espero), mas há mais dos quais eu não pretendo manter. Até troquei/vendi alguns sem ler por já estar com o e-book correspondente em mãos; faz meses que entro em uma livraria e saio sem comprar nada.

Todo mundo que possui um leitor desses diz que nunca deixarão de comprar livros físicos, mas eu penso diferente...talvez não hoje, nem mesmo em breve, mas consigo me ver daqui a muitos anos só comprando para ler no kobo. Além de ajudar a economizar dinheiro e espaço, ele é uma coisinha muito prática. Adoro segurar livros, mas tem horas que eu não quero me preocupar com peso. Tá, ainda prefiro carregar por aí um de verdade por medo de ser assaltada se for um volume das Crônicas de Gelo e Fogo dá para usar para ler E para se defender mas continua sendo muito bom ter tantas obras num aparelho tão leve.
Serve para fanfictions também! XD

Mesmo se todas essas vantagens não fossem boas o suficiente, só o fato de poder ter os meus livros "impossíveis" já faria valer à pena o preço do e-reader. Entenda como "impossíveis" todas essas coisas que você deseja muito ler mas não pode porque as livrarias brasileiras não as vendem, ou porque são muito difíceis de achar. Agora, eu posso ler tudo o que a Diana Wynne Jones escreveu, obras nunca traduzidas para o português (como Parade's End e A Study in Sherlock); também dá para ler aquelas que não tem versão em papel, ou para checar as prévias e considerar se você quer ler tudo mesmo.

Acho que consegui me fazer entender: esse kobo foi uma pequena bênção em minha vida, trazendo tudo o que eu precisava. Não satisfaz todas as necessidades - por exemplo, fazer marcações e anotações pode ser limpo e organizadinho, mas é o inferno fazer essas opções funcionarem. Por vezes, eu sinto falta de poder usar um simples lápis. Bom, é impossível achar um sistema perfeito; podemos dizer que, nesse caso, o papel e a versão digital se completam.

Postagens mais visitadas