Do amor de um Dursley

Só eu acho surreal ver que até esse blog ressuscita antes que a 3ª temporada de Sherlock tenha sequer sua data de estréia revelada? Estou a ponto de acreditar que as filmagens que fizeram meses atrás não passaram de farsa para enganarem os fãs. Enfim...

Nesses meses em que o Hidden Palace esteve em hiatus, eu iniciei uns 32857438 projetos pessoais - sendo que um deles é retornar ao universo de Harry Potter, mas dessa vez em inglês britânico

Tem gente que acha releituras uma atividade chata e inútil. Eu sou totalmente a favor porque, dependendo de como e quando você faz isso, é praticamente ler pela primeira vez - com o 'pequeno' diferencial de que você sabe tudo o que vai acontecer. Minha mente e visão de mundo mudaram drasticamente desde a última vez que li algum livro dessa saga; percebi isso na pele quando me peguei soltando um "ooownn! que graça!" para a atitude de Vernon (Válter) Dusrley no 1º livro. Vou explicar:



Vernon é um cara tão conservador que dá arrepios. Ele é extremamente feliz em sua vida normal de classe média alta, com emprego normal, família normal, casa normal, rotina normal. Aí, do nada total, ele precisa aturar diariamente um menino completamente anormal, que poderia se tornar um risco para a vida de todos na casa. A questão é - ele nada tinha a ver com Harry, pois este era total responsabilidade de Petunia. Vernon poderia ter pegado seu filho e virado as costas para isso tudo, poderia ter se mudado para longe e voltar à sua vida ordinária dos sonhos.

Mas ele não foi. Preferiu ficar e ajudar a esposa a encarar o 'fardo'. E tudo o que Vernon fez (na Pedra Filosofal, pelo menos) foi para proteger a família dos perigos que um bruxo treinado poderia trazer para sua casa. Sim, ele fez tudo errado. Sim, ele merecia ser preso pelos maus tratos contra Harry. Ainda assim, eu consegui ver amor em várias das suas atitudes, e eu achei muito fofo.

Até os piores personagens de Rowling tem um lado bom (com exceção obvia de Voldemort, claro). Às vezes eu sinto que as pessoas em geral entendem tudo muito preto no branco. Prestando um tiquinho mais de atenção à história, mesmo que seja só assistindo aos filmes, é possível perceber que as coisas não são assim. Mesmo os bonzinhos agem, por vezes, de maneira deplorável, ou tem pensamentos ou ideias vistas como de pessoas ruins. E isso é brilhante, especialmente para um livro infantil, classificação desprezada por muitos. Fico triste ao ver tantas pessoas, fãs de livros ou não, leigas ou bons entendedores da literatura, considerando Harry Potter uma obra vaga, que não tem nenhuma mensagem útil para as criancinhas...

Postagens mais visitadas