Andei assistindo: Doctor Who (2005) - 1ª temporada


Sempre soube que Doctor Who era considerada uma das melhores séries de ficção científica, mas, além disso, somente que havia um cara que viajava pelo espaço com uma cabine policial.  Eu até queria assistir, mas a minha falta de paciência estúpida em acompanhar seriados nunca me deixou sequer começar. Então eu vi esse texto no twitter, li e me interessei bastante, então baixei logo.

Eu não gostei muito do piloto. Achei o seu enredo tão bobinho, tão "seriado-do-Jetix" (será que alguém ainda se lembra desse canal?) que me decepcionei bastante. Mas eu continuei, não era possível que era aquela uma das melhores séries atuais, os outros episódios tinham que ser melhor. E também tinha o Christopher Ecclenson como o Doutor, eu realmente adorei o personagem, a única coisa que havia me agradado.  Então eu vi o próximo episódio, e depois o outro, e o outro, e o outro, e terminei a série em menos de três dias. Três dias! Meu irmão chegou a ficar preocupado ao ponto de me proibir a entrada no computador de madrugada!

Por mais que os efeitos especiais muitas vezes sejam deprimentes, não dá para não gostar desse programa. No começo as histórias de cada episódio parecem isoladas, mas depois, mais na frente, você vê que o resultado de cada uma tem suas conseqüências, todas elas se ligam de um jeito muito legal. Você fica grudado na tela, preocupado com o que vai acontecer mesmo que saiba o que vá rolar. Se bem que muitas vezes você quebra a cara.

Me apaixonei de vez quando ele perguntou
se ninguém iria querer champagne.
Os personagens principais também foram muito importantes para eu ter gostado tanto da série. O Doutor, óbvio, foi de quem eu mais gostei. Eu realmente gostei dele, é impossível não sorrir quando ele sorri, ficar nervoso quando ele demonstra isso, triste quando ele está. Ecclenston foi realmente demais, por isso fiquei tão chateada quando vi que ele só duraria uma temporada. Fiquei de implicância idiota com o ator seguinte do personagem, David Tennant, no segundo que ele surgiu na tela. Mas é claro que eu não vou deixar de assistir à segunda temporada, não depois de ver tantos comentários afirmando que ele é um Doutor ainda melhor. Bom, espero que eu goste dele assim também.

A Rose, a outra protagonista, tem uma atriz que me irrita um pouco. Ela é meio fraca, não convence direito, acho que teria gostado muito mais dela se fosse interpretada por outra pessoa. E a personagem é meio chata às vezes, é irritante como ela fica flertando com todo homem que aparece. Mas ainda assim eu gostei dela, queria ser tão decidida assim. Sei que é porque eu nunca vi um episódio sem sua presença, mas não consigo imaginar o programa sem Rose. E estou bem curiosa para ver como ela vai lidar com esse novo formato do Doutor.

Amo as vozes deles. Exterminate! EXTERMINATE!
Os vilões da série são muito legais. Eu adorei os alienígenas Slitheens, que apareceram no 5º episódio, aquele que me marcou como fã do seriado. Mas ninguém supera os Daleks, os saleiros (ou pimenteiros?) gigantes que no começo nos fazem girar os olhos pela sua aparência, mas depois metem medo em qualquer um. Se bem que os personagens atirando loucamente neles quando eles saiam matando era meio ridículo – gente, se atirar com arma de fogo não adianta, sabe o que se faz? TENTA-SE OUTRA COISA, não se persiste assim no erro.  Essa foi uma das poucas coisas que me irritou.

Uma coisa que queria comentar foi que esse série fez eu me desiludir um pouco com outra que eu também gosto muito, Fringe. Há um episódio dessa série sobre os Observadores, seres que sempre aparecem quando algum evento importante na Terra. Nele um estudioso mostra aos protagonistas provas de como as criaturas estão entre nós há milênios, com várias fotos deles que datam séculos antrás. Enquanto isso, no piloto de Doctor Who um homem que tenta perseguir o Doutor mostra à Rose como este surge quando há algum acontecimento marcante na vida humana, isso desde muito tempo. Fiquei meio decepcionada porque quando eu vi pela primeira vez em Fringe achei tudo tão bizarro, tão original! Aí eu vi que não era nada disso. Ao menos os personagens em questão são diferentes entre si: enquanto o Doutor é sempre a causa de tais fatos, os Observadores só estão lá para assistir - pelo menos, é assim que deveria ser.

Nada se cria, tudo se copia. Mas eu perdôo Fringe XD












Eu realmente recomendo dar uma chance a Doctor Who. Fiquei triste ao ver tantos parando no piloto. Algo que todos deveriam saber é que o primeiro episódio nunca define a qualidade de uma série. Insistir um pouco não faz mal nenhum. Mas cuidado porque essa vicia mesmo, eu tive muita sorte em ter começado a assistir nas férias, porque se fosse em época de aula, eu estaria ferrada. Ainda acho que deveria ter esperado a prova da UERJ passar antes de começar, mas agora é tarde demais...

Postagens mais visitadas