Andei assistindo: Doctor Who (2005) - Time crash

.


WIBBLY WOBBLY TIMEY WIMEY



É incrível como Moffat consegue explodir cabeças num episódio com menos de dez minutos de duração; a história deste Children in need é simples e complexa ao mesmo tempo, e eu me apaixonei perdidamente por ele. Já está em segundo lugar do meu top 10 dos melhores de Doctor Who - acho que vai ser meio difícil algum superar Blink...

Um descuido do nosso Doutor ao não colocar os escudos na sua nave de volta após reformá-la quase causou o fim do universo. Duas TARDIS se chocaram, uma do passado e outra do futuro, provocando um paradoxo louco ao fazer o alien se encontrar com ele mesmo, só que na sua quinta encarnação.

E o encontro foi perfeito. O décimo tem mesmo um ótimo senso de humor, eu nunca conseguiria zoar tanto comigo mesma. Eu imagino o quanto deve ter sido nostálgico para quem tinha visto Peter Davison nos episódios antigos, ainda que ele esteja um pouco diferente nesse especial (se bem que é óbvio que ele não teria a aparência igualzinha a que tinha 23 anos antes). E fiquei com mais vontade ainda de assistir a série original, só preciso abandonar a preguiça e achar servidores de download que ainda esteja aberto...

Novamente Moffat brinca maravilhosamente de viagens no tempo, de um jeito natural e brilhante. E o décimo Doutor falando com a sua versão antiga no final é tão bonitinho, é quase o próprio Tennant agradecendo ao Davison - para quem não sabe, este foi a encarnação favorita do primeiro. Enfim, o episódio não acrescente muito na história geral, não sendo necessário assistir. Mas não é preciso fazer isso, é bom demais para deixar passar. Arrisco dizer que é melhor que vários da segunda temporada. É uma ótima sugestão para quem nunca assistiu à série e quer saber se vale a pena!

Postagens mais visitadas