Livros e suas capas

Acho um pouco de hipocrisia afirmar que a capa de um livro nunca conta. É um fator totalmente irrelevante na avaliação do conteúdo, óbvio. Porém, não dá para negar que, na maioria das vezes - junto com o título - ela é o que nos faz retirar um exemplar da prateleira para análise. Lógico, quando a somente a lombada está à vista, sua importância diminui um pouco...enfim, deu para entender, certo? Quanto mais bonita a capa, mais atenção ela chama. Consequentemente, a chance do livro ser levado aumenta.

Como eu vou levar a sério um livro com uma capa tão mal feita assim?
Eu ando trocando meus livros descontroladamente, mas me deixo atrair pela parte física mesmo sabendo que não vão durar muito na estante. E já entrei em furadas por causa disso. Crepúsculo, um ótimo exemplo. Acho as capas maravilhosas; comprei os dois primeiros volumes por causa delas, e dos títulos chiques também. É, sem nem olhar a sinopse. O pior de tudo é que foram caros...

Mas o que realmente me incentivou a escrever esse post é a história dos filmes na frente dos livros. Não me importa quem veio antes, são entretenimentos totalmente diferentes um do outro. Essa mania é vista por mim como propaganda barata, além de deixar o exemplar muito deselegante. Só compro nessa condição se eu souber que a história é boa e não tem outra versão, ou se nela houver algum texto imperdível. 

Por melhor que seja a série, tinha mesmo necessidade de fazer isso aí?   












Por que substituir o desenho lindo por uma foto photoshopada?
A Intrínseca sempre procura continuar publicando as edições originais mesmo depois de fazer as novas, com fotos da versão cinematográfica. É isso o que todas as editoras deveriam fazer. Ou, melhor ainda, imitar a Cia das Letras, que mantêm as capas originais e coloca simplesmente um panfleto ou adesivo publicitário anunciando que a história também foi para os cinemas.

Acho que o quê me incomoda mesmo é o pôster aparecer na capa. A Cia das Letras tem duas edições para o livro "Reparação", e a econômica tem uma cena do filme na frente. Mas é uma imagem aleatória, não fica gritando "olhem aqui, eu sou tão bom que virei filme!!". Na verdade, imagino que só quem já tenha assistido reconhece que é uma cena dele e não uma simples foto. Bom, pelo menos eu sei que minha pessoa nunca teria notado isso se não o tivesse visto antes.

Acho as duas edições lindas. Também achei digno terem mantido o título original.
Antes de terminar, queria comentar a situação de "O mochileiro das galáxias" por aqui. Não faz tanto tempo assim, a Sextante fez uma reforma geral nos livros da saga. As capas originais e maravilhosas foram substituídas por outras totalmente comuns e sem graça, estrangeiras. Eu sei que Douglas Adams é incrível com qualquer edição, mas fico triste mesmo assim. Os desenhos de William Medeiros são excelentes, os mais bonitos feitos para essa série que eu já vi. Não foi à toa que eu corri atrás delas após terminar a leitura e me desfiz das que eu tinha comprado no Submarino. Só falta o 1º livro, o mais difícil de conseguir dessa versão. Por quê? Porque a editora a substituiu rapidamente por outra com o pôster do filme. Argh...

Sério, qual das versões tem a cara do Adams?
Huum...as minhas reclamações tem fundamento ou eu  simplesmente sou chata demais?


Postagens mais visitadas